Nutrina News

  • Olhos ímpares - Belos e intrigantes

  • Data: 14/09/2015
  • Belos e intrigantes. Assim são os gatos e cães com “olhos ímpares”, isto é, com um olho de cada cor, normalmente, um claro e outro escuro, mas podendo ser também um azul e outro verde ou ainda, bicolores e até tricolores em cada olho. Essa mutação, chamada heterocromia, é rara em humanos, mas costuma ocorrer em cães e gatos, especialmente em felinos domésticos brancos. Em gatos com pelagem preta e branca, os famosos “frajolas”, é muito rara. Por isso Grasiele Gimenes, de São Paulo, se orgulha tanto da gatinha Ariela, uma “frajolinha” com um olho azul cristalino e outro alaranjado. “Eu a resgatei e depois descobri que estava grávida. Nenhum dos três filhotes nasceu com os olhos da mãe”, conta a tutora.

    Existem três tipos de heterocromia. A completa é quando os olhos têm cores diferentes bem visíveis, como um azul e outro amarelo, por exemplo. Na setorial um dos olhos pode ter a íris com duas cores ou mais. E a heterocromia central é quando a íris tem dois ou mais círculos de cor, por exemplo, verde com um arco dourado. “Trata-se de uma alteração na pigmentação dos olhos que pode ter origem genética (herança dos pais ou antepassados) ou exógena (provocada por traumas, sangramentos, tumores oculares ou glaucoma). Os animais podem nascer com essa anomalia ou desenvolver em razão de algum problema”, explica o veterinário Daniel Ribeiro Martins da Mooca Vet (SP).

    Ele explica também que em cães de pastoreiro e de regiões geladas, como o husky siberiano, essa anomalia não é considerada mutação porque confere o padrão da raça. “Achei o Lucky perto da minha casa oito anos atrás. Ele deve ser uma mistura de vira-lata com husky e uma das características marcantes dele é ter um olho de cada cor, que faz o maior sucesso. Muitos perguntam se ele é cego de um olho, o de cor branca, mas ele enxerga bem com os dois olhos”, explica Carin Duarte, de SP.

    Em homenagem ao artista mais camaleão do planeta, Flávia Slipoi batizou seu cachorro de David Bowie, afinal, basta olhar para os olhos dele para perceber a “coincidência”. No entanto, o músico britânico não possui heterocromia e nem um olho de vidro como já correram alguns boatos. Ele possui outra disfunção denominada anisocoria adquirida em função de uma briga na adolescência que lhe tirou parcialmente a visão e a percepção das cores de um dos olhos. Temos a impressão de que ele possui um olho de cada cor, mas na verdade uma das pupilas está sempre do mesmo tamanho (dilatada) enquanto que a outra permanece contraída.

    Mas o cão David Bowie de três anos de idade e morador da Região dos Lagos no Rio de Janeiro tem sim heterocromia. A cadela Vicky, que mora em SP com sua tutora Renata Bueno, é outro exemplo de mutação cuja beleza literalmente “salta aos olhos”. Ela não tem heterocromia, mas possui olhos de um azul cristalino que é comum apenas em cães de determinadas raças e muito raro em raças mestiças. Vicky foi encontrada numa lixeira com 10 dias de vida e há 11 anos desfila sua rara beleza que nem a ciência explica.

    Olhos ímpares e surdez

    Embora alguns gatos com olhos ímpares sejam surdos, a deficiência auditiva não está relacionada com a cor dos olhos e sim com a síndrome de Waardenburg, que gera surdez e também promove uma despigmentação da retina. Normalmente isso ocorre em gatos de pelagem branca e a surdez pode, inclusive, surgir de forma gradativa. Quando o gato tem apenas heterocromia não apresenta surdez.

    Mel, a gata de sete anos de Alexandra Tomiko (Sertãozinho, SP) é branca, tem belíssimos olhos de duas cores e apresenta surdez: “Mas isso não atrapalha em nada. Parece até que ela faz leitura labial. Ela também sente quando a estamos procurando e atende os chamados. No entanto, já foi comprovado que ela não escuta”. Silvester, gato de Aline Prudêncio que mora em Santo André (SP), embora todo branco, escuta muito bem: “Esse problema de surdez ele não tem, mas já caiu de cima da geladeira e precisou colocar pinos na pata. Adaptamos a casa de forma que ele possa se mover com mais segurança”, conta Aline.

    Encontrado no lixo com apenas dois meses de idade, o gato Gannicus nem imaginava que seria tão amado e cercado de mimos pela tutora Susi Monteiro, de SP, apaixonada por seus olhos. Ele é todo branco, mas também ouve bem, o que sugere que tenha apenas heterocromia. É o caso de Luck, que vive em Guarulhos (SP) com a tutora Selma Masri. Também é um gato branco de olhos ímpares, mas que ouve muito bem. Vale lembrar que apenas um veterinário deve fazer exames para saber se os gatos de olhos de duas ou mais cores têm problemas de audição.

    Alerta: É aconselhável levar gatos com essas caractéristicas aos profissionais que podem fazer uma avaliação geral da saúde deles evitando assim probemas, inclusive, nas adoções. Um gato com problema de audição pode não ser compreendido e até maltratado por um adotante desavisado.

© nutrina 2019 todos os direitos reservados