Nutrina News

  • Ministério Público investiga mortes de cães em Divinópolis (MG)

  • Data: 23/03/2018
  • Cachorros encontrados mortos dentro de um freezer no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa).

     coordenador Regional das Promotorias de Defesa do Meio Ambiente da bacia Alto São Francisco, o promotor Leandro Wili, afirmou que foi solicitado à Polícia Militar de Meio Ambiente que recolha os corpos dos cães e os encaminhe ao Centro Universitário de Formiga (Unifor), para que exames laboratoriais sejam realizados.

    A existência de animais mortos no freezer foi denunciada pela Sociedade Protetora de Animais de Divinópolis (Spad). De acordo com nota divulgada pela Prefeitura, os cães estavam contaminados com leishmaniose e os tutores assinaram autorização para o procedimento de morte induzida. Alguns deles, segundo a administração municipal, estavam em estado terminal atestado por laudo veterinário. As informações são do portal G1.

    “Queremos verificar o motivo deles [cães] terem sido eutanasiados, se realmente havia doença que realmente justificasse o sacrifício. Existe uma resolução do Conselho Federal de Medicina Veterinária que traz todas as diretrizes para que haja a eutanásia desses animais”, afirma o promotor. Segundo ele, o laudo pericial deve ficar pronto até a próxima semana e, a partir dele, o Ministério Público Estadual irá analisar quais providências devem ser tomadas.

    Entenda o caso

    Entre os animais encontrados, haviam filhotes e um cão da raça dálmata que seria resgatado pelos protetores, explica a diretora da Spad, Íris Moreira. “No dia 2 de março estivemos lá e tinha uma cadela que havia parido. Hoje, os filhotes estavam entre os animais mortos. Chegamos de surpresa. Os funcionários alegaram que os animais estavam doentes e por isso foram sacrificados, mas até os filhotes estavam doentes também? A mãe não estava entre os cães mortos”, denuncia a protetora.

    Sobre o dálmata, a assessoria da Prefeitura afirmou que o sacrifício foi necessário, pois o animal foi encontrado agonizando em um lote. “Seguindo a legislação vigente, e de acordo com o laudo do médico veterinário, para evitar sofrimento ainda maior ao animal, ele precisou ser eutanasiado. O animal estava caquético, com os membros traseiros paralisados, com miíase [bicheira] nas patas dianteiras, com secreção purulenta no corpo”, declarou a assessoria.

    A Prefeitura afirma ter implantado um programa de controle da transmissão da leishmaniose no município que, entre as ações, conta com a realização de castrações. Sete cães foram recolhidos no bairro Niterói nesta semana para serem castrados, segundo a administração municipal. Após o pós-operatório, os cães são devolvidos aos tutores e os que vivem em situação de rua, voltam para o local de onde foram retirados.

© nutrina 2018 todos os direitos reservados