Nutrina News

  • Veterinária tira dúvidas sobre a gestação dos pets

  • Data: 01/01/2018
  • Fêmeas precisam de atenção redobrada para identificar sinais que possam comprometer a sua saúde e a dos filhotes.

    A maternidade no mundo pet é um assunto que pode gerar dúvidas em muitos tutores. Durante a gestação - que dura de 58 a 68 dias, em cachorras, e de 64 a 67 dias, em gatas -, as fêmeas precisam de atenção redobrada para identificar sinais que possam comprometer a sua saúde e a dos filhotes.

    A veterinária de uma rede de lojas do setor pet, Carla Storino Bernardes, explica que o acompanhamento veterinário é de extrema importância para que não existam complicações durante gravidez e durante o parto.

    Os tutores devem observar se os animais apresentam alterações comportamentais e relatá-las no consultório. A veterinária ressalta que o tutor deve ficar alerta, por exemplo, quando o animal se recusa a comer ou beber água e também quando não há sinal de parto após o período da gestação.

    "Quando aparecem corrimentos ou quando o animal está apático, se recusando a interagir com o tutor, é hora de levá-lo ao médico veterinário", diz Carla.

    Além disso, durante a gravidez, as fêmeas precisam de uma alimentação de qualidade. "É necessário alterar o perfil da ração para alimento de filhote e aumentar a quantidade, porém tudo deve ser alinhado junto ao médico veterinário", afirma.

    Nascimento dos filhotes

    Dentro de 48 horas após o parto, o animal e os filhotes devem passar por exames clínicos para checar o estado de saúde. A veterinária explica que a atenção dos tutores deve continuar redobrada nesta fase.

    "É normal que a mãe coma mais ou menos duas vezes mais do que anteriormente e que a quantidade das fezes seja mais volumosa e em textura pastosa. Porém, caso observe que o animal está tendo dificuldade em defecar ou diarreia, é necessário procurar o veterinário", afirma.

    Caso o animal se recuse a se alimentar ou alimentar os filhotes no período da amamentação, o veterinário também deve ser procurado. Segundo Carla, cães e gatos devem ficar ao menos dois meses com suas mães.

    Identificando a gravidez

    Alguns tutores podem ter dúvidas na hora de identificar se a fêmea está grávida ou não. Por isso, a veterinária Carla Storino dá algumas dicas.

    Segundo a profissional, em relação às cachorras, percebem-se alterações como mudança comportamental, tamanho e formato das mamas e mudança do formato da barriga. Já nas gatas, a detecção torna-se mais difícil. As mudanças mais perceptíveis são comportamental e no formato de abdômen.

    Já no terço final da gestação, tanto gatas quanto cachorras apresentam maior ganho de peso e aumento do apetite.

    Prevenção

    A cachorrinha Cristal, da raça Lhasa Apso, tem 2 anos e está grávida há cerca de um mês. A dona do animal conta que ela já recebia acompanhamento veterinário antes e não demonstrou nenhum comportamento preocupante por enquanto.

    "Apenas notamos que ela está mais mimosa, querendo mais carinho", diz Karine Rufato Botura, tutora da pet em Sorocaba (SP).

    O cruzamento da Cristal foi planejado e a gestação está sendo tranquila. No entanto, alguns tutores desejam evitar a reprodução de suas pets. Uma forma de prevenção é a castração antes do primeiro cio.

    "A castração é importante para evitar a gravidez psicológica, diminuir a chance de algumas patologias aparecerem como câncer nas mamas e piometra nas fêmeas e câncer nos testículos e próstata no caso do macho. É melhor castrar as fêmeas antes do primeiro cio, pois isso evita as patologias relacionadas aos órgãos reprodutores", destaca Carla.

    Ainda de acordo com a veterinária, o pós-operatório costuma ser tranquilo e é necessário de 7 a 10 dias para poder retirar os pontos. Nesse período, é indicado que o animal use roupa cirúrgica ou colar elisabetano para não coçar os pontos.

    Fonte: G1 Mundo Pet: Clique aqui!

© nutrina 2019 todos os direitos reservados