Nutrina News

  • Conheça histórias de amor incondicional aos animais

  • Data: 16/02/2016
  • Morador de rua cuida de três cachorros, um com problema de saúde.
    Em Piratininga, Kaleo ajudou o dono a superar a morte do filho.

    Na última reportagem da série "Mundo Pet", o TEM Notícias mostra histórias
    de amor dos humanos com os bichos de estimação. Pessoas que dedicam boa parte
    do seu tempo para cuidar de animais que sofreram algum tipo de agressão ou
    foram abandonados. Algumas têm pouco ou nenhum recurso, mas isso não as impede
    de tratar bem os pets.

    Um delas é a professora universitária Regina Stella Spagnuolo, de Botucatu (SP),
    que não pensou duas vezes em adotar a Pipoca. "Foram muitos momentos de muito choro,
    de muito questionamento, tinha muito medo de não dar conta”, conta. Pipoca teve
    cinomose, uma doença contagiosa, comum em cães, e que pode matar. Por conta
    disso, ela ficou tetraplégica, só mexe o pescoço.

    Dona de um coração enorme, estela não teve dúvidas quando recebeu a proposta para
    adotar a cachorrinha encontrada em um lixão. "O estado dela hoje é outro, ela
    engordou, ganhou peso, ela tem uma atividade mental, hoje ela interage com os meus
    cães em casa", explica. As chances de pipoca voltar a andar são pequenas, segundo
    os médicos.

    Estela sabe que daqui para frente a vida dela nunca mais será a mesma. Mesmo assim,
    só tem a agradecer. “Tudo tem seu propósito. Cada pequena melhora, cada pequeno
    movimento que ela consegue fazer é uma vitória para ela, é uma vitória pra mim.”

    Teto para os cães
    O abrigo Piccolina fica em Avaré, mas é referência no estado no cuidado com animais
    abandonados. Hoje o local atende 300 cães só com doações. Eles são divididos em 60
    baias personalizadas. Em cada uma, fotos e os nomes dos padrinhos. Nos galpões há
    aquecedores. O abrigo tem o próprio centro cirúrgico e sala de internação. Os animais
    são vacinados, castrados e vermífugos. Contam até com um centro de beleza e cada um
    tem a própria casinha. Os cães passam o dia escutando música.

    No abrigo há também a hora do recreio. E claro é a mais esperada do dia. Além de
    15 mil metros quadrados com gramado tem até um playdog para que eles possam brincar
    e gastar toda energia. Os cães recebem muito amor das cuidadoras. "Porque eles já
    chegam no abandono, então eles precisam de carinho", destaca a cuidadora Ediméia
    Aparecido Simão.

    “Todos eles são adotáveis, todos eles estão aqui prontos para ter um lar, ter um dono
    para chamar de seu. Só basta as pessoas abrirem o coração, tirar o preconceito de que
    animal adulto não vai se adaptar no ambiente, porque ele acostuma sim, vai ficar sim,
    eles querem carinho, atenção”, explica a técnica de enfermagem veterinária Solange
    Celestino da Silva.

    Ao longo de onze anos, 2500 animais já foram resgatados e 600 conseguiram uma nova
    família. Assim como Kiara e Sofia. Graças a um anjo chamado Lúcia Helena, as “meninas”
    ganharam um novo lar e a aposentada, companhia. “Elas demonstram muito carinho, beija
    a gente o dia inteiro.”

    Nas ruas
    E quem disse que os cães precisam de um teto para serem bem cuidados. Em Bauru (SP), tem
    cãezinhos que mesmo na rua recebem um tratamento especial dos donos. Na porta da estação
    ferroviária de Bauru, encolhidinhos, em um cantinho improvisado moram a Gorda, o Preto,
    o Tigre e o Ederson Dias Alves.

    O Ederson mora na rua há sete anos e a cachorrada também. Só que os cães são tão bem
    cuidados que nem parece que vivem assim. Eles formam uma grande família rodeada de amor
    e carinho. “É a mesma coisa que fosse irmão meu, é um sentimento forte de amor”, explica.

    O Tigre é o xodó. O cão tem problema nos rins e precisa de cuidados especiais. A ração
    dele é diferente, custa R$ 80 o pacote e não dá nem para uma semana. Se dependesse do
    amor do Ederson, esse seria um valor pequeno, mas financeiramente ele não tem condições
    de arcar com essa despesa.

    É aí que a defensora de animais Lucinéia Maria da Silva entra na história. Ela é a
    responsável pelo tratamento médico e pela alimentação. Lucinéia é protetora dos animais
    e madrinha do Tigre. “Demorou um prazo de uns 2 meses ou até mais eu vindo todos os dias
    convencendo, mostrando que eu era de confiança que eu não queria os cachorros, que eu só
    queria cuidar”, conta. “Eu não tinha dinheiro pra comprar a ração que ele come. Faz 3,
    4 anos que eu e minha mulher moramos aqui, a única pessoa que tentou ajudar foi ela e esta
    tentando até hoje”, completa Ederson.

    E a Lucinéia vai continuar. Ela traz ração e medicamento para o afilhado toda semana.
    Também leva ao veterinário quando preciso, mais que isso, se emociona toda vez que tem
    ir embora. Uma relação do mais puro amor. “Cada vez que eu venho quando está chovendo,
    eu vou embora de coração cortado, não só ele, todos tocam, amo todos, se eu pudesse eu
    faria tudo por todos.”

    Como filho
    Em Piratininga, conhecemos uma história muito especial, de um cachorro que de amigo
    virou filho. O nome dele é Kaleo. Ele é o grande responsável pelo sorriso no rosto do
    empresário Evilásio Carvalho. Evitou que seu dono entrasse em depressão em um dos
    momentos mais difíceis da vida dele. “Nos momentos que eu choro, que eu estou chorando ali,
    conversando com ele, ele não fica assim, ele fica quietinho, ele encosta a cabeça no meu colo,
    como quem diz, ‘olha eu estou aqui com você’, pode conversar”, afirma.

    O empresário perdeu o único filho que morava com ele em um acidente de carro, em agosto do
    ano passado. Na época, Kaleo tinha seis meses, era praticamente um bebê, mas, com maturidade
    suficiente para sentir tudo que estava acontecendo. Hoje, Evilásio cuida e se preocupa com o
    cachorro, da mesma forma que um pai age com seu filho. “Nós dois somos apaixonados um pelo outro.
    Eu vou dizer uma coisa que muita gente pense assim, ele agora forçou. Não, mas eu daria minha
    vida por esse animal aqui, sossegado. Porque ele é muito especial.”

    Salvadora
    Especial também é a vira-lata Kiara que salvou a dona, uma menina de 10 anos, de um estupro
    em Pilar do Sul. O Brasil se emocionou com o que aconteceu na casa de número 93 no Jardim
    dos Ypês em Pilar do Sul. A família recebeu e ainda recebe muitos visitantes. Todos querem
    conhecer a cadelinha que salvou a menina.

© nutrina 2019 todos os direitos reservados